imprensa

Chegamos ao final do 13º PROLER


Segunda-feira, 24 de maio, encerra o ciclo de palestras do PROLER Na trilhas da leitura… do acesso, experiências e processos, com a palestra Biblioteca como espaço de aprendizagem e a competência informacional no ensino básico ministrada por Bernadete Santos Campello. Doutora em Ciência da Informação e mestre em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Campello é professora da Escola de Ciência da Informação da mesma Universidade, onde coordena o Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar. Coordenou a tradução e adaptação dos livros Como Usar a Biblioteca na Escola: um programa de atividades para o ensino fundamental e Como orientar a pesquisa escolar: estratégias para o processo de aprendizagem (lançado ontem na 2ª Bienal do Livro de Minas), ambos de Carol Kuhlthau. É autora dos livros Letramento informacional: função educativa do bibliotecário na escola e Biblioteca Escolar: temas para uma prática pedagógica.

Santa Catarina faz literatura

Dia 18 foi a vez da literatura catarinense no 13º Encontro Regional do Proler. O palestrante, Viegas Fernandes da Costa, apresentou um panorama da literatura catarinense, trazendo desde os cânones como Cruz e Souza, Salim Miguel, Adolfo Boos Jr., Urda Alice Klueger, até os novos contemporâneos, como Rubens da Cunha e Maicon Tenfen.

Há boa literatura em Santa Catarina. Dezenas de autores e títulos foram citados e recomendados. A segunda palestra da noite trouxe a poesia eletrônica. Juliana Teodoro e Alexandre Venera são apaixonados pelo que fazem: arte multimídia. Quem participou assistiu a apresentação de vários trabalhos dos artistas, entre eles o “Janelas”, inspirado no poema de Douglas Zunino. Mídia sobre poesia, uma arte enriquecendo a outra, com voz do próprio poeta.

Da Literatura impressa à eletrônica: será que amanhã conheceremos mais o autor que publica hoje na mídia eletrônica ou no livro impresso? Ainda não temos a resposta. Mas tudo indica que as mídias eletrônicas vieram pra ficar.

O ciclo de palestras do PROLER Na trilhas da leitura… do acesso, experiências e processos, encerra na próxima segunda-feira, 24/05, com a palestra Biblioteca como espaço de aprendizagem e a competência informacional no ensino básico ministrada por Bernadete Santos Campello. Doutora em Ciência da Informação e mestre em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Campello é professora da Escola de Ciência da Informação da mesma Universidade, onde coordena o Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar. Coordenou a tradução e adaptação dos livros Como Usar a Biblioteca na Escola: um programa de atividades para o ensino fundamental e Como orientar a pesquisa escolar: estratégias para o processo de aprendizagem (lançado ontem na 2ª Bienal do Livro de Minas), ambos de Carol Kuhlthau. É autora dos livros Letramento informacional: função educativa do bibliotecário na escola e Biblioteca Escolar: temas para uma prática pedagógica.

Fonte: Suzana Mafra | 47 3251 1866
Contato: prolervale@gmail.com
Site: http://prolervale.libertar.org/


Navegar é preciso

Apesar do frio e da chuva, a terceira noite de Encontro Regional do PROLER transcorreu com auditório lotado, desta vez para aprender sobre o uso das tecnologias na pesquisa escolar.

O evento abriu com Concerto em sol maior de Vivaldi, interpretado pela Orquestra Intermezzo, da Fundação Cultural de Timbó.


Com o tema Pesquisa Escolar em Base de Dados, Karyn Munyk Lehmkuhl, bibliotecária da UFSC, apresentou programas que investigam se um trabalho ou texto é plágio. Segundo ela, o plágio acontece quando nos apropriamos de um texto sem citar a fonte. A bibliotecária apresentou também métodos e ferramentas que conduzem à uma pesquisa em fonte segura.

Nem sempre navegar é preciso, no sentido de precisão, daí a importância de conhecer as ferramentas e métodos disponíveis. Contudo, será preciso pesquisar na internet, preciso aqui como necessário, pois, provavelmente a melhor ferramenta para obter informação atualmente é a internet e é muito difícil imaginar a pesquisa sem ela.

Para citar a fonte da pesquisa e não plagiar, é preciso saber elaborar referências bibliográficas, ou então recorrer ao MORE. Maria Bernadete Martins Alves, revelou que o MORE surgiu exatamente da necessidade de facilitar o registro das fontes de informação utilizadas na pesquisa bem como da inexistência de uma ferramenta nacional que gerasse referências no padrão ABNT.

O programa de computador, MORE, monta as referências para você, disponível na internet e gratuito, basta acessar o programa, selecionar o tipo de material que se pretende referenciar, preencher os campos e, como num passe de mágica, eis a referência pronta.Foi o poeta Fernando Pessoa que eternizou os versos: navegar é preciso, viver não é preciso. Dizem os estudiosos que o “preciso” aí é de precisão. Tratando-se de pesquisa, navegar é preciso? Sim, basta conhecer algumas ferramentas.

Fonte: Suzana Mafra | 47 3251 1866
Contato: prolervale@gmail.com
Site: http://prolervale.libertar.org/

O livro deve ir onde o povo está

A segunda noite do Ciclo de palestras do 13º Encontro Regional do PROLER trouxe quatro experiências catarinenses bem sucedidas com livros, leitura, literatura e bibliotecas.

A bibliotecária Liliana de Oliveira Granemann Rosa, coordenadora da Rede de Bibliotecas Escolares e Comunitárias da Secretária Municipal de Educação de Florianópolis, expôs com clareza a trajetória do trabalho pioneiro em Santa Catarina, com início em 1984. Destacou os benefícios que o projeto trouxe às comunidades onde as bibliotecas se inserem.

Em lugares que ainda não é possível ter uma rede integrada de bibliotecas, o livro pode ir onde o povo está por meio da Arca das letras. Lúcia Kistner, coordenadora do projeto em Gaspar, falou do sucesso da experiência. Atualmente a cidade conta com diversas Arcas em comunidades distantes do centro, na casa dos agentes de leitura voluntários.

Para aqueles que gostam de encontrar o livro ao ar livre, nada como uma feira de livro. Timbó tem um projeto exemplar, a Feira de Rua do Livro de Timbó, conforme relato da Professora Gilmara Mendes Goulart. A cada ano um autor é homenageado e neste ano os homenageados serão os autores catarinenses, especialmente os do Vale do Itajaí. Uma Feira envolvente, repleta de histórias, brincadeiras, autores, livros e gente.

Como cativar aqueles que aprendem a ler tardiamente ao gosto pela leitura? Verônica, bibliotecária do SESC da Prainha, Florianópolis, relatou a experiência do projeto Competência em Informação, que inseriu a biblioteca do SESC no processo ensino-aprendizagem com os alunos da EJA. Outra experiência de sucesso.

O livro deve ir onde o povo está. O povo somos nós: o que vai à feira do livro, aquele que frequenta uma escola ou mora em seu entorno e utiliza a biblioteca da escola, o jovem ou adulto que não teve oportunidade de aprender a ler quando criança, o morador de comunidade rural. Todos cidadãos que merecem o acesso ao livro e à leitura.

“Menor que meu sonho, eu não posso ser”, disse o poeta-profeta Lindolf Bell.

Aproximadamente 250 pessoas ouviram o relato de experiências felizes em torno do livro e da leitura, experiências que começaram com o sonho de um.


Fonte: Suzana Mafra | 47 3251 1866 e Gláucia Maindra da Silva | 47 3326-6990 | 99110763.
Contato: prolervale@gmail.com
Site: http://prolervale.libertar.org/


Brasileiro gosta de ler

Aconteceu nesta segunda-feira, 10 de maio, a abertura do 13º Encontro Regional do PROLER, na Fundação Cultural de Blumenau, com auditório Carlos Jardim lotado. Além dos participantes de Blumenau, grupos de Brusque, Gaspar, Ilhota, Indaial, Pomerode e Timbó, estiveram presentes no evento.

A temática da primeira noite do Encontro foi em torno das políticas públicas para a promoção da leitura e da informação. Magda Teixeira Chagas, professora da UFSC, proferiu palestra sobre Leitura e informação para a cidadania. Dela é a afirmação “o brasileiro gosta de ler, o que lhe falta é oportunidade de acesso ao livro e a informação”. Esta oportunidade de acesso pode ser ampliada através da formulação e implementação de políticas públicas, tema da segunda palestra, proferida pela Mestre em Biblioteconomia, Francisca Rasche.

Aproximadamente 250 pessoas compareceram ao evento. Prova de que o brasileiro gosta de ler e, mais do que isso, prova de que os educadores, bibliotecários, auxiliares de biblioteca, mediadores de leitura, estão preocupados e atentos às questões pertinentes ao livro e a leitura.

Fonte: Suzana Mafra | 47 3251 1866 e Gláucia Maindra da Silva | 47 3326-6990 | 99110763.
Contato: prolervale@gmail.com
Site: http://prolervale.libertar.org/


Abertas inscrições para 13 º Encontro Regional do PROLER, em Blumenau

Uma realização da Fundação Cultural de Blumenau
O Comitê Regional do Programa de Incentivo à Leitura (PROLER) está com inscrições abertas para o 13º Encontro Regional do Proler, que será realizado a partir do dia 10 de maio no auditório Carlos Jardim da Fundação Cultural de Blumenau. Destinado a educadores, bibliotecários, auxiliares de biblioteca, promotores de leitura e comunidade em geral interessada na promoção da leitura, da literatura e da biblioteca como forma de desenvolvimento do cidadão crítico. Esta edição do Encontro apresenta o tema “Nas trilhas da leitura… do acesso, experiências e processos”. Um ciclo de palestras e apresentações culturais integram a programação do evento com destaque para a professora Bernadete Santos Campello, da Universidade Federal de Minas Gerais. As vagas são limitadas e os interessados em participar do 13º Encontro Regional do PROLER podem se inscrever através do preenchimento de formulário disponível no site http://prolervale.libertar.org/, ou através do e-mail prolervale@gmail.com.

Sobre o PROLER
O Programa de Incentivo à Leitura foi criado em 1992 pelo Governo Federal e está vinculado à Fundação Biblioteca Nacional. Em 2002 o Comitê Regional do PROLER foi instalado em Blumenau, que atualmente conta com representantes dos municípios de Blumenau, Brusque, Gaspar, Indaial e Timbó. O Comitê tem por objetivo desenvolver eventos de formação e promoção em leitura.
Maiores informações no site http://prolervale.libertar.org/.


Programação
CREDENCIAMENTO | 10 de maio | 18h
ABERTURA OFICIAL | 10 de maio | 18h30min

MOMENTO CULTURAL | 19h
10 de maio | Banda Municipal – Fundação Cultural de Blumenau
11 de maio | Apresentação cultural (à confirmar)
17 de maio | Orquestra Intermezzo – Fundação Cultural de Timbó
18 de maio | Grupo Revolution – EBM Prof.ª Zulma Souza da Silva
24 de maio | Baú de Histórias SESC (excepcionalmente às 18h30min)

10 de maio
| segunda-feira | políticas públicas para a promoção da cidadania através da leitura e da informação
Mediação | Sandra Cristina da Silva
– LEITURA E INFORMAÇÃO PARA A CIDADANIA, com Dra. Magda Teixeira Chagas – UFSC.
– POLÍTICAS PÚBLICAS PARA BIBLIOTECAS ESCOLARES NO BRASIL, com Msc. Francisca Rasche – UFSC.

11 de maio
| terça-feira |
experiências catarinenses
Mediação | Suzana Mafra
– IMPLANTAÇÃO DA REDE DE BIBLIOTECAS ESCOLARES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE  FLORIANÓPOLIS, com Liliana de Oliveira Granemann Rosa – Coord. de Bibliotecas Escolares da SME Florianópolis.
– ARCA DAS LETRAS – Biblioteca Rural em Gaspar, com Lúcia Kistner – Biblioteca Municipal Dom Daniel Hostin.
– FEIRA DE RUA DO LIVRO DE TIMBÓ, com Gilmara Mendes Goulart – Fundação Cultural de Timbó e CETISA.
– A BIBLIOTECA DO SESC COMO PARTE DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM ATUANDO COM ALUNOS DA EJA – Projeto Competência em Informação, com Verônica Ferreira – SESC.

17 de maio | segunda-feira | o uso das tecnologias na pesquisa escolar
Mediação | Gláucia Maindra da Silva
– MECANISMO ONLINE PARA REFERÊNCIAS, com Msc. Maria Bernardete Martins Alves – UFSC.
– PESQUISA ESCOLAR EM BASE DE DADOS, com Karyn Munyk Lehmkuhl – UFSC.

18 de maio | terça-feira | a literatura catarinense e a tecnologia na promoção da leitura
Mediação | Lúcia Kistner
– RECORTES DA LITERATURA PRODUZIDA A PARTIR DE SANTA CATARINA, com Viegas Fernandes da Costa, FURB.
– POESIA ELETRÔNICA, com Alexandre Venera e Juliana Theodoro – OPIOPTICO.

24 de Maio | segunda-feira | biblioteca como espaço de aprendizagem e a competência informacional no ensino básico
Mediação | Rosangela Cristina Machado Bertram
– COMPETÊNCIA INFORMACIONAL NO COTIDIANO ESCOLAR, com Dra. Bernadete Santos Campello – UFMG.



O 13º ENCONTRO REGIONAL DO PROLER é uma realização da Prefeitura de Blumenau e da Fundação Cultural de Blumenau através do Comitê Regional do Proler em convênio com Fundação Biblioteca Nacional/Ministério da Cultura. Tem parceria com o SESC e SAB – Sociedade de Amigos da Biblioteca Municipal Dr. Fritz Müller e conta com o apoio da Biblioteca Municipal Dr. Fritz Müller, da SEMED – Blumenau, da SECTUR, da Prefeitura de Timbó, da SEMED – Timbó, da Fundação Cultural de Timbó, da Casa do Poeta Lindolf Bell, do CETISA, da Prefeitura Municipal de Indaial, da Fundação Indaialense de Cultura, da Banda Municipal de Blumenau, da Prefeitura de Brusque, de Brusque Amiga da Leitura, da Prefeitura de Gaspar, do espaço online libertar.org, da Liquidificador Comunicação e Arte, da Origem Livraria e Papelaria, de Giselle Seibel fotografias, da Tipotil, da Oficcina.com, da Zás Color e da Churrascaria Na Moita.


Fonte: Sandra Cristina da Silva e Gláucia Maindra da Silva, coordenadoras do Comitê Regional do Proler de Blumenau (47) 3326-6787 | 99689793.
Redação: Viegas Fernandes da Costa, integrante do Comitê Regional do Proler de Blumenau.
Contato: prolervale@gmail.com
Site: http://prolervale.libertar.org/
Contato em:
Blumenau | 47 3326 6787 | Sandra Cristina da Silva
Brusque | 47 3351 1866 | Suzana Mafra
Gaspar | 47 3332 5156 | Lúcia Kistner
Indaial | 47 3333 3086 | Elaine Cristine Theilacker
Timbó | 47 3382 4170 | Gilmara Mendes Goulart

Chegamos ao final do 13º PROLER


Amanhã, 24 de maio, encerra o ciclo de palestras do PROLER Na trilhas da leitura… do acesso, experiências e processos, com a palestra Biblioteca como espaço de aprendizagem e a competência informacional no ensino básico ministrada por Bernadete Santos Campello. Doutora em Ciência da Informação e mestre em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Campello é professora da Escola de Ciência da Informação da mesma Universidade, onde coordena o Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar. Coordenou a tradução e adaptação dos livros Como Usar a Biblioteca na Escola: um programa de atividades para o ensino fundamental e Como orientar a pesquisa escolar: estratégias para o processo de aprendizagem (lançado ontem na 2ª Bienal do Livro de Minas), ambos de Carol Kuhlthau. É autora dos livros Letramento informacional: função educativa do bibliotecário na escola e Biblioteca Escolar: temas para uma prática pedagógica.

  1. Nenhum comentário ainda.
(não será publicado)


SetTextSize SetPageWidth